O MAHÂVAGGA – V32

O MAHÂVAGGA.

 

5.13 Então o Brahmâ Sahampati entendeu: “O Abençoado concede o meu pedido que Ele deve pregar a doutrina”. E inclinando-se diante do Abençoado, e passou ao redor dele com o seu lado direito em relação a ele; e então ele imediatamente desapareceu.

Aqui termina a história do pedido de Brahmâ.

Anúncios

O MAHÂVAGGA – V31

O MAHÂVAGGA.

 

5.12 Assim, O Abençoado, olhando sobre o mundo com os seus olhos de um Buddha, viu seres cujos olhos mentais foram escurecidos. . . . (C., repete o texto § 10), e quando ele tinha visto-os assim, ele dirigiu a Brahmâ Sahampati a seguinte estrofe: “Totalmente aberta é a porta do Imortal para todos que têm ouvidos para ouvir; deixe-os enviar adiante a fé para encontrá-lo. O Dhamma doce e bom Eu nunca falei, Brahmâ, desesperado da cansada tarefa, para os homens”.

O MAHÂVAGGA – V30

O MAHÂVAGGA.

 

5.11 Como, em uma lagoa de lótus azuis, ou água-rosas ou lótus brancas, algumas lótus azuis, ou água-rosas, ou lótus brancas, nascidos na água, crescidos na água, não emergem sobre a água, mas prosperam escondidos sob a água; e outras lótus azuis, ou água-rosas ou lótus brancas, nascidos na água, crescidos na água, alcançam à superfície da água; e outras lótus azuis, ou água-rosas, ou lótus brancas, nascidos na água, crescidos na água, mantem-se emergentes fora da água, e a água não toca nelas…

O MAHÂVAGGA – V29

O MAHÂVAGGA.

 

5.10 E pela terceira vez Brahmâ Sahampati disse ao Abençoado: “Senhor, pode Ó Abençoado pregar a doutrina,…. (c., como antes)”.

Então O Abençoado, quando ele tinha ouvido a solicitação de Brahmâ olhou, cheio da compaixão em direção a seres sencientes, por cima do mundo, com o seu (toda percepção) olho de um Buddha. E Ó Abençoado, olhando sobre o mundo com seus olhos de um Buddha, viu seres cujos olhos mentais foram escurecidos por praticamente nenhuma poeira, e os seres cujos olhos estavam cobertos por muita poeira, os seres afiados de sentido e os embotados do sentido, de boa disposição e de má disposição, fácil de instruir e difícil de instruir, alguns deles vendo os perigos da vida futura e do pecado.

O MAHÂVAGGA – V28

O MAHÂVAGGA.

 

5.9 E uma segunda vez Brahmâ Sahampati disse ao Abençoado: “Senhor, pode Ó Abençoado pregar a doutrina,…. (c., como no § § 6, 7)”. E pela segunda vez O Abençoado disse a Brahmâ Sahampati: “O pensamento seguinte…. (c., como antes)”.

O MAHÂVAGGA – V27

O MAHÂVAGGA.

 

5.8 Quando ele tinha falado assim, O Abençoado disse a Brahmâ Sahampati: “O pensamento seguinte, Brahmâ, ocorreu-me: ‘Eu penetrei nesta doutrina…. (&c., até ao final do § 2)’. E também, Brahmâ, o seguinte….(1) Estrofes apresentaram-se à minha mente, que não tinha sido ouvido (por mim) antes: ‘Com grandes dores, . . . . ( * C. , até final do § 3 º)’. Quando eu ponderava o assunto, Brahmâ, minha mente ficou inclinada a permanecer em silêncio, e não para pregar a doutrina”.